23 Maio 2016

Bayer faz oferta para adquirir Monsanto e criar líder global na agricultura

Em resposta a mais especulações no mercado e a questões dos stakeholders, a Bayer divulga publicamente o conteúdo da sua proposta privada para adquirir a Monsanto.
  • 37% acima do preço de fecho das ações da Monsanto, de 89,03 dólares, a 09 de maio de 2016;
  • Oferta de 122 dólares por ação em dinheiro, que valoriza a Monsanto em 62 mil milhões de dólares, representa um valor certo e imediato com elevado lucro para os acionistas da Monsanto.
  • A fusão cria uma empresa integrada líder na agricultura com um amplo portfólio de produtos e excecional linha de I&D com vista a disponibilizar aos agricultores soluções valiosas e inovadoras.
  • Potencial de criação de valor atrativo com acréscimo de EPS central na ordem dos 5% no fecho do primeiro ano, e de dois dígitos percentuais, posteriormente.
  • São esperadas sinergias totais de aproximadamente 1,5 mil milhões de dólares após o terceiro ano, acrescidas de benefícios adicionais da oferta integrada nos anos futuros.
  • Uma forte geração de fluxo de caixa livre permite rápida desalavancagem pós-aquisição.
  • Reforça a Bayer como empresa de Ciências da Vida global impulsionada pela inovação, ocupando posições de liderança nos seus principais segmentos.

 

Carnaxide, 25 de maio de 2016 - Em resposta a mais especulações no mercado e a questões dos stakeholders, a Bayer divulga publicamente o conteúdo da sua proposta privada para adquirir a Monsanto. A Bayer fez uma oferta em dinheiro para adquirir todas as ações ordinárias emitidas e em circulação da Monsanto Company por 122 dólares por ação, ou um valor agregado de 62 mil milhões de dólares. Esta oferta, baseada na proposta feita à Monsanto por escrito pela Bayer a 10 de maio de 2016, representa uma oferta de:

 

- 37% acima do preço de fecho das ações da Monsanto, de 89,03 dólares, a 09 de maio de 2016;

- 36% acima do preço médio ponderado das ações pelo volume das negociações de três meses;

- 33% acima do preço médio ponderado das ações pelo volume negociado de seis meses;

- Múltiplo de EBITDA dos últimos doze meses de 15,8x relativamente a 29 de fevereiro de 2016.

 

A aquisição da Monsanto seria uma oportunidade atraente para criar uma empresa líder na agricultura global ao, simultaneamente, reforçar a Bayer como empresa de ciências da vida que ocupa uma posição mais aprofundada num setor de crescimento de longo prazo. A fusão deve proporcionar aos acionistas da Bayer um acréscimo de EPS central de cerca de 5% no primeiro ano completo após o fecho e uma percentagem de dois dígitos após esse período. Inicialmente, a Bayer acredita que as contribuições aos rendimentos anuais resultantes das sinergias totais cheguem a aproximadamente 1,5 mil milhões de dólares após o terceiro ano, acrescidos de benefícios derivados da oferta integrada em anos futuros.

 

"Há muito tempo que respeitamos os negócios da Monsanto e partilhamos a sua visão para criar um negócio integrado que acreditamos que será capaz de gerar valor substancial para os acionistas de ambas as empresas", disse Werner Baumann, CEO da Bayer AG. "Juntos, alavancaremos a experiência coletiva de ambas as empresas de forma a construir um ator líder na agricultura com capacidade de inovação excecional para o benefício dos agricultores, dos consumidores, dos nossos colaboradores e das comunidades onde operamos."

 

Esta operação reuniria as plataformas líderes de Seeds & Traits, Proteção de Cultivos, Biológicos e de Agricultura Digital. Especificamente, os negócios combinados beneficiariam da liderança da Monsanto em Seeds & Traits e da ampla linha de produtos de Proteção de Cultivos da Bayer, numa gama de indicações e culturas abrangente. A combinação também seria verdadeiramente complementar do ponto de vista geográfico, ampliando, significativamente, a presença de longa data da Bayer no continente americano e a sua posição na Europa e na região Ásia/Pacífico. Os clientes de ambas as empresas beneficiariam do amplo portfólio de produtos e da profunda linha de produção em I&D.

 

"A Bayer está comprometida em capacitar os agricultores a produzirem alimentos saudáveis, seguros e acessíveis de forma sustentável e em quantidades suficientes para alimentar a crescente população mundial", disse Liam Condon, membro do Conselho de Administração da Bayer AG e chefe da Divisão Crop Science. "Confrontados com o complexo desafio de operar num mundo onde há recursos limitados e onde a volatilidade do clima está a aumentar, há uma clara necessidade de produzirmos soluções mais inovadoras que promovam a próxima geração da agricultura. Ao apoiar os agricultores de todas as dimensões em todos os continentes, a empresa combinada estaria posicionada como o parceiro de escolha para soluções verdadeiramente integradas e de qualidade superior".

 

Sob a operação proposta, a empresa combinada ofereceria oportunidades atraentes para os colaboradores de ambas as empresas e teria a sua sede global de Seeds & Traits e comercial norte-americana em St. Louis, Missouri, enquanto a sede global de Crop Protection e divisional de Crop Science seria em Monheim, Alemanha, além de uma presença importante em Durham, na Carolina do Norte, bem como em muitos outros locais em todos os EUA e no resto do mundo. A Agricultura Digital da empresa combinada ficaria sediada perto de São Francisco, Califórnia.

 

A Bayer está altamente confiante na sua capacidade de financiar a operação com base em discussões avançadas com o apoio dos bancos de financiamento, o BofA Merrill Lynch e Credit Suisse. A oferta não está sujeita a uma condição de financiamento. A Bayer pretende financiar a operação por meio de uma combinação de dívida e capital. A parcela de capital esperada representa aproximadamente 25% do valor da empresa da operação, e deve ser angariada, numa primeira fase, através de uma oferta de direitos.

 

A forte geração de caixa da empresa combinada, bem como o histórico de desalavancagem disciplinada da Bayer após grandes aquisições permitiria uma rápida desalavancagem pós-aquisição. Isto está em linha com a meta de classificação do grau de investimento da Bayer, imediatamente após o encerramento da operação, e com o seu compromisso com a categoria de classificação "A” único em longo prazo. A Bayer tem um histórico bem-sucedido de trabalhar com as autoridades globais para garantir as aprovações regulatórias necessárias e tem vasta experiência na integração de aquisições dos pontos de vista comercial, geográfico e cultural.

 

O Conselho de Administração e o Conselho Fiscal da Bayer aprovaram a proposta por unanimidade e estão totalmente empenhados em concretizar a operação. A Bayer está preparada para avançar imediatamente com as negociações e para chegar rapidamente a acordo para uma operação. A operação estará sujeita às condições habituais de encerramento.

 

O BofA Merrill Lynch e o Credit Suisse estão a atuar como os principais consultores financeiros da Bayer e apoiam o financiamento da transação; o Rothschild foi contratado para atuar como consultor financeiro adicional para a Bayer. Os assessores jurídicos da Bayer são a Sullivan & Cromwell LLP (M&A) e a Allen & Overy LLP (Financiamento).