Bayer: Science For A Better Life
 
Links Internacionais
19-Mai-2009
Advantix® muda de estatuto quanto à dispensa.
Antiparasitário da Bayer deixa de estar sujeito a receita Médico-Veterinária
A partir de agora, os donos de animais, preocupados em proteger os “amigos de quatro patas” contra os principais parasitas externos (pulgas, carraças, mosquitos/flebótomos, moscas picadoras), potenciais transmissores de doenças infecciosas graves, podem passar a adquirir o Advantix® também nas parafarmácias.
 
Esta possibilidade decorre da mudança de estatuto quanto à dispensa do medicamento veterinário, que deixou de estar sujeito a prescrição médico-veterinária.
  icon_Advantix
Para assinalar a classificação do Advantix® como medicamento não sujeito a receita médico-veterinária a Divisão de Saúde Animal da Bayer lançou uma campanha nacional (televisão, imprensa e pontos de venda) com a assinatura – “ Advantix®,  O melhor amigo do cão” -  que visa sensibilizar os donos para a importância do tratamento regular e risco de transmissão de doenças infecciosas caninas de transmissão vectorial.
 
“A classificação do Advantix® como medicamento não sujeito a receita médico-veterinária permite-nos posicionar a solução junto de um público mais vasto, nomeadamente os donos dos cães. Por outro lado, ao ter conquistado o estatuto de “OTC”, a dispensa do produto passou a poder ser feita também nas parafarmácias, para além dos Centros de Atendimento Médico-Veterinário e Farmácias, facto que nos permite chegar a um espectro maior de consumidores” explica Cláudio Mendão, Médico Veterinário e responsável pela Linha Animais de Companhia da Bayer Portugal.
 
No âmbito da campanha de sensibilização será ainda disponibilizado um serviço de aviso de desparasitação externa para os donos não se esquecerem de aplicar o Advantix® na altura certa aos animais. Para subscreverem este serviço, basta inscreverem-se no site da Bayer (http://www.bayervet.com.pt/) a partir de Junho, passando a receber, todos os meses, uma mensagem a lembrar de que devem desparasitar o seu “ Bobby”.
 
Advantix® consiste num Ectoparasiticida com um largo espectro de acção (pulgas, carraças, moscas picadoras e mosquitos/flebótomos). A associação entre duas substâncias activas (imidaclopride+permetrina) confere-lhe uma eficácia superior. Graças ao efeito insecticida e repelente* (*nas carraças, mosquitos/flebótomos e moscas) Advantix® diminui, substancialmente, o risco de transmissão das doenças vectoriais aos cães (ex: borreliose, leishmaniose, etc). É seguro para os cães e donos e está disponível em embalagens de quatro pipetas em quatro tamanhos. Deve ser utilizado durante toda a época de risco dos parasitas.
 
A Bayer Health Care investe, todos os anos, milhões de euros em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, confirmando assim o empenho na protecção dos animais e das pessoas. Nos últimos 10 anos a Divisão Saúde Animal foi responsável pelo desenvolvimento de novos produtos e métodos de aplicação inovadores.
 
Advantix solução para unção punctiforme para cães até 4 kg, com mais de 4 kg até 10 kg, com mais de 10 kg até 25 kg e com mais de 25 kg. Indicações terapêuticas Tratamento e prevenção de infestações por pulgas (Ctenocephalides canis, Ctenocephalides felis). As pulgas presentes no cão são mortas no prazo de 1 dia após o tratamento. Um tratamento previne infestações futuras por pulgas durante 4 semanas. O medicamento pode ser utilizado como parte de uma estratégia de tratamento da dermatite alérgica a picada de pulga (DAPP). O medicamento tem uma eficácia acaricida e repelente persistente contra infestações por carraças (Rhipicephalus sanguineus e Ixodes ricinus durante quatro semanas, e Dermacentor reticulatus durante três semanas). As carraças já presentes no cão podem não ser mortas nos dois dias após o tratamento, podendo permanecer fixadas e visíveis. Assim, é recomendada a remoção das carraças presentes no cão no momento do tratamento, de modo a prevenir que estas se fixem e se alimentem de sangue. Um tratamento proporciona uma actividade repelente (impede a picada e consequente alimentação) contra flebótomos (Phlebotomus papatasi durante 2 semanas e Phlebotomus perniciosus durante 3 semanas), contra mosquitos (Aedes aegypti durante 2 semanas e Culex pipiens durante 4 semanas), e contra as moscas do estábulo (Stomoxys calcitrans) durante 4 semanas. Precauções especiais para utilização em animais Devem ser tomadas precauções para evitar que o conteúdo da pipeta entre em contacto com os olhos ou a boca do cão tratado. Devem ser tomadas precauções para administrar correctamente o medicamentoveterinário tal como descrito no Folheto informativo, secção Modo de administração. Deve em particular prevenir-se a ingestão oral pelo animal tratado ou por outros que com ele contactem, não permitindo que os animais lambam o local de aplicação. Não administrar a gatos. Devido à fisiologia particular do gato, que é incapaz de metabolizar certos compostos incluindo a permetrina, este medicamento veterinárioé extremamente tóxico para os gatos podendo mesmo causar a morte. De modo a prevenir a exposição acidental ao medicamento veterinário, manter os cães afastados dos gatos após o tratamento até que o local de aplicação esteja seco. É importante assegurar que os gatos não lambam o local de aplicação de um cão tratado. Se isto acontecer, consulte imediatamente o médico veterinário assistente. Consultar o Médico Veterinário assistente antes de utilizar o medicamento veterinário em cães debilitados ou doentes. Como o medicamento veterinário é perigoso para organismos aquáticos, não permitir que os cães tratados nadem em cursos de água durante pelo menos 48 horas após o tratamento. Precauções especiais a adoptar pela pessoa que administra o medicamento aos animais Evitar o contacto entre o medicamento e a pele, olhos ou boca. Não comer, beber ou fumar durante a aplicação. Lavar bem as mãos após a aplicação. Em caso de derrame acidental sobre a pele, lavar imediatamente com água e sabão. Pessoas com antecedentes de sensibilidade cutânea poderão ser particularmente sensíveis a este medicamento veterinário. Os sintomas clínicos predominantes que em casos extremamente raros podem ser observados são irritações sensoriais cutâneas transitórias como formigueiro, sensação de queimadura ou dormência. Em caso de contacto acidental do medicamento veterináriocom os olhos, lavar bem com água corrente. Se os sintomas cutâneos ou oculares persistirem, ou se o medicamento veterinário for ingerido acidentalmente, dirija-se imediatamente a um médico e mostre-lhe o folheto informativo. Evitar o contacto directo, especialmente por crianças, com o cão tratado até que o local de aplicação esteja seco. Isto pode ser assegurado tratando o animal, p.ex. à noite. Não permitir que cães recentemente tratados durmam com os donos, especialmente as crianças. Outras precauções O solvente do medicamento veterinário pode manchar alguns materiais incluindo peles, tecidos, plásticos e superfícies polidas. Deixar secar o local de aplicação antes de permitir o contacto com esses materiais. Registo nº: 51504, 51505, 51506, 51507. Data da AIM: 10/02/2004.